sexta-feira, 20 de abril de 2018

Bill Maraschiello

365POP2018 - Sexta Feira - Anos 70.

Ok, eu sei, estou obcecado por música filk, mas só mais uma, eu prometo. Amanhã falo de outra coisa.

Bill Marachiello foi, nos anos 70 e 80, até sua morte prematura em 1986 um dos mais proeminentes filkers, mas não só isso, o cara manjada da música folk irlandesa como poucos. Ele ficou conhecido por mostrar que o filk podia ir além de violão e voz. Bill tocava praticamente qualquer instrumento, por isso era chamado de Bill of Many Instruments. 



Links:
http://filkontario.ca/maraschiellob/

Eu queria ter escrito muito mais sobre Bill Maraschiello, escutado mais, principalmente a J for Jedi, mas nada disso eu achei, infelizmente.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

Julia Ecklar

365POP2018 - Quinta Feira - Anos 80

Claro, mais filk.

Julia Ecklar é uma escritora de ficção científica e compositora e interprete de filk, claro né. Ela ganhou vários prêmios Pegasus e gravou alguns discos, a maioria nos anos 80.

Diferente de Tom Smith que é mais voltado para o humor, Julia Ecljkar é mais intimista e sentimental, uma ótima música cheia de referências sem ser de humor. Ela também foi para o caminho mais épico com orquestra e rock.

Ela escreveu vários livros de ficção científica, muitas vezes com seu nome, mas também usando apelas LA Graf.






Links:
https://en.wikipedia.org/wiki/Julia_Ecklar 
https://open.spotify.com/artist/7s2ChxKX6gjGc60WPHWA5Y?si=QdJF-xv8QKu0zSNQEb3KJg

quarta-feira, 18 de abril de 2018

Tom Smith - The Master Filker

365POP2018 - Quarta feira - Anos 90

Se Leslie Fish é a rainha da Filk Music, Tom Smith é o rei. Natural do Michigan, ele foi 17 vezes campeão do prêmio Pegasus e é o mais rápido filker do mundo. Ele é capaz de compor canções filk em minutos. Ele fez projetos de composição e gravações semanais, compôs um disco inteiro em 24 horas, entre outras maluquices notáveis.

E não só de folk e filk, Tom Smith vive, ele já compôs de ópera até hip hop.

Hail to The king of Filk!








Música oficial do dia de falar como um pirata, sim, isso existe e deveria ser adotado em todos os lugares: https://en.wikipedia.org/wiki/International_Talk_Like_a_Pirate_Day

https://en.wikipedia.org/wiki/Tom_Smith_(filker)
http://www.tomsmithonline.com/
https://open.spotify.com/artist/22ZjvaisJlv6JVpHbeHunG?si=kQO2iPEpTaq6V0HgR0kk5g

terça-feira, 17 de abril de 2018

Sj Tucker

365POP2018 - Terça feira - Anos 2000

E é claro que o assunto ainda é Filk Music.

SJ Tucker vem de uma família de artistas e começou a tocar e cantar na faculdade, montou a banda Shine Withe Chick e depois seguiu para o folk entre outras influências, e é claro o filk. Ela se apresenta regularmente em shows LGBT, em convenções e feiras medievais. E tem uma boa discografia totalmente independente. E como outros artistas dos quais tenho falado aqui, ela ganhou o prêmio Pegasus em 2010 como melhor cantora e em 2011 como melhor compositora.

Além da carreira solo ela está no Tricky Pixie, fundada em 2006 e que se define como uma banda folk/celta de fadas punks.

A ótima voz de SJ Tucker e seu violão com as letras sobre ninjas e D&D, ou as canções mais tradicionais celtas/folk. Tudo isso combina bem e vale escutar prestando atenção na letra. òtima descoberta de ontem que virou post hoje.








Links:
https://en.wikipedia.org/wiki/S._J._Tucker
http://sjtucker.com/
https://s00j.livejournal.com/
http://www.trickypixie.com/
https://open.spotify.com/artist/2kfFvaclobAe56G43yOAbS?si=IylqObbyQrucojmaAT9Seg

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Amy McNally

365POP2018 - Segunda Feira - Anos 2010

Estava aprendendo a lidar com a quase total falta de informações para escrever um post sobre música, das bandas mais obscuras, que as vezes nem preenchem seus próprios perfis no Spotify. Estava aprendendo a catar nos comentários do Youtube informações sobre as bandas, então veio a música filk e eu percebi que o que eu estava fazendo é reclamar de um monte de informações, no nível atual eu to quase brincando de adivinhação aqui.

Com Amy McNally foi quase isso.

Já tem quase uma década de Amy Mcnally toca música folk, celta e filk, ela acompanha um monte de bandas com seu violino tocado rápido. Ela veio do Wisconsin. Bom, basicamente é o que tenho. E ela ganhou o Pegasus Award em 2011.

Tá ai, escute ai:


domingo, 15 de abril de 2018

The Penguins

365POP2018 - Domingo - Anos 50

The Penguins é daqueles grupos que todo mundo conhece a música, mas pode passar a vida toda sem saber quem a gravou. Os membros originais de The Penguins foram Cleveland Duncan (23 de julho de 1935 - 7 de novembro de 2012), Curtis Williams (11 de dezembro de 1934 - 10 de agosto de 1979), Dexter Tisby (10 de março de 1935) e Bruce Tate (27 de janeiro de 1937 - 20 de junho de 1973)

O grupo foi fundado em 1953 na Califórnia e meio que existiu até 2012, mas foram muitas mudanças de membros e nomes, a constante foi Cleveland Duncan, que inclusive aparece no filme De volta Para o Futuro. Já percebeu que música é essa? 

Earth Angel que é tocada no filme, De Volta para o Futuro, foi o grande sucesso do The Penguins. 

A banda acabou de vez com a morte de Duncan em 7 de novembro de 2012. 





https://en.wikipedia.org/wiki/Earth_Angel
https://en.wikipedia.org/wiki/The_Penguins
https://open.spotify.com/artist/6lOk7hCr8x3O9vHwylXyHR?si=qO7B517IRbStERb7QNzYLA

sábado, 14 de abril de 2018

Brothers - in - Law

365POP2018 - Sábado - Anos 60.

Continuo com minha recém adquirida obsessão pela música Filk. Admito que não é uma tarefa fácil, até isso virar o rock nerd dos anos 2000 era um monte de gente se divertindo com convenções de ficção científica, mas sem muitos registros, gravações ou discos. Salvo a rainha controversa da música filk, Leslie Fish.

Um grupo que acabei achando nessa música por música filk é o Brothers - In - Law. Não eles não são todos cunhados, o nome vem do fato da formação original da banda ser toda de policiais canadenses. O grupo foi formado em 1963 e consistia de paródias sobre o governo e costumes, sua música mais controversa foi The Pill, sobre a pílula anticoncepcional. O mais interessante sobre o quarteto, que depois trocou um dos policiais  por um professor. No início dos anos 70 eles se separaram, mas voltaram para o lançamento de um relançamento/remake/continuação de seu disco mais famoso Oh! Oh! Canada!

É impressionante perceber que aquilo que achamos que é moderno como música nerd e discos de humor já passam dos 50 anos de idade. Outra coisa impressionante é o tamanho da discografia do Brothers - In - Law. Mesmo como atividade secundária e durando coisa de uma década, eles lançaram 5 álbuns e mais dois posteriores ao fim da banda.






Pois é, a gente vive e pesquisa, mas não descobre tudo.

Existem mais duas bandas com o nome Brothers in Law, mas até onde sei, nenhuma relação.

https://en.wikipedia.org/wiki/The_Brothers-in-Law
https://open.spotify.com/artist/5ba7jGXMviiq4HYMXMcaiW?si=EqC6Ih6XT36ppzKPnz8wuw

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...